Bule Voador

A homeopatia não é eficaz para tratar nenhuma doença, diz estudo australiano

A Homeopatia não é eficaz para tratar nenhuma condição de saúde, concluiu o principal corpo de pesquisa médica da Austrália, depois de realizar uma análise extensiva de estudos existentes.

Homeopatas acreditam que as substâncias causadoras de doenças podem, em doses diminutas, tratar pessoas que não estão bem.

Diluindo essas substâncias em água ou álcool, homeopatas alegam que a mistura resultante retem uma “memória” da substância original que ativa uma resposta de cura no corpo.

Essas alegações foram largamente desmentidas por diversos estudos, mas o National Health and Medical Research Council (NHMRC) revisou pela primeira vez 225 estudos sobre a homeopatia para chegar à sua conclusão, publicada na quarta-feira [11 de março de 2015].

“Baseado na análise das evidências da eficácia da homeopatia, o NHMRC conclui que não há nenhuma condição de saúde para a qual exista evidência confiável de que a homeopatia seja eficaz”, conclui o estudo.

“As pessoas que escolhem a homepoatia podem colocar sua saúde em risco se rejeitarem ou adiarem tratamentos para os quais há boa evidência de segurança e eficácia”.

Uma companhia independente também revisou os estudos e avaliou as evidências para evitar vieses.

Membro do comitê de homeopatia do NHMRC, o Professor Paul Glasziou disse que esperava que os resultados levassem seguradoras de saúde privadas a parar de oferecer descontos em tratamentos homeopáticos, e forçassem farmacêuticos a reconsiderar se deveriam mantê-los em estoque.

“Haverá um grupo de pessoas que não responderá bem a esse estudo, e que dirá que é tudo uma conspiração do sistema estabelecido”, disse Glasziou.

Enquanto alguns estudos reportaram que a homeopatia era eficaz, a qualidade desses estudos era baixa e sofriam de sérias falhas de planejamento e não possuíam um número grande o suficiente de pacientes para sustentar a ideia de que a homeopatia funciona melhor do que uma pílula de açúcar, descobriu o estudo. “Mas esperamos que haja bastante gente razoável por aí que reconsiderará vender, usar ou subsidiar essas substâncias”.

Ao fazer suas descobertas o NHMRC também analisou 57 revisões sistemáticas, um tipo de estudo de alta qualidade que aborda todas as pesquisas de boa qualidade existentes sobre um assunto em particular e as sintetiza para gerar um número grande de resultados confiáveis.

Glasziou disse que o uso da homeopatia no Reino Unido caiu depois de um relatório publicado pela House of Commons em 2010 que concluiu que os tratamentos eram ineficazes, e que ele espera que o relatório do NHMRC tenha efeitos similares na Austrália.

O Dr. Ken Harvey, especialista em políticas de drogas medicinais e defensor dos direitos dos consumidores de saúde, disse que faculdades privadas estavam cobrando milhares de dólares por cursos em homeopatia, e que ele esperava que os estudantes reconsiderassem se deveriam fazê-los.

A Tertiary Education Quality Standards Agency (TEQSA) do governo deveria parar de creditar cursos homeopáticos, disse ele, enquanto descontos de seguros de saúde privados não deveriam ser disponibilizados cobrindo homeopatia e outros tratamentos não comprovados.

“Eu não tenho problemas com faculdades privadas querendo dar cursos sobre observação de bolas-de-cristal, iridologia e homeopatia, e se as pessoas são malucas o suficiente para pagar por eles, é decisão delas”, disse Harvey.

“Mas se esses cursos são aprovados pelo Estado, isso é uma outra história e um problema real”.

Cursos aprovados são revisados pela TEQSA a cada sete anos, com suas próprias diretrizes declarando que o conteúdo de um curso deve ser “retirado de um corpo de conhecimento coerente, substancial e atualizado em mais de uma disciplina acadêmica e deve incluir o estudo de quadros teóricos e resultados de pesquisas relevantes”.

Um porta-voz da TEQSA disse que especialistas independentes estavam acostumados a valiar se um curso cumpria esses requisitos. Ele disse que os cursos de homeopatia já creditados não seriam reavaliados à luz das conclusões da NHRMC, e seriam apenas revisados quando sua acreditação vencesse o prazo para renovação.

Em uma fala respondendo ao relatório da NHMRC, a Associação Homeopática Australiana (AHA) alegou que cerca de um milhão de australianos usam a homeopatia.

Entretanto, a NHMRC diz que não estimativas confiáveis do uso atual da homeopatia por australianos, apesar de uma pesquisa da OMS de 2009 descobrir que os australianos gastavam estimados U$9,59 milhões na indústria anualmente.

“A AHA recomendeu à NHMRC que ela tivesse uma abordagem mais compreensiva em relação à análise da eficácia da homeopatia, e que considere uma avaliação econômica de grande escala dos benefícios de um sistema mais integrado que respeite e defenda a escolha de serviços de saúde do paciente”, disse a AHA.

Eduardo Patriota
Uma pessoa que sempre gostou de debater e de ouvir diferentes pontos de vista. Blogueiro há muitos anos, se sustenta trabalhando com informática, mas é apaixonado pela área de humanas e psicologia.