Bule Voador

O ateísmo como modinha da internet

Que as redes sociais tiveram um papel fundamental no fortalecimento do chamado Neo Ateísmo – a forma mais enfática e militante proposta por autores como Richard Dawkins, Sam Harris e Christopher Hitchens, entre outros – e no “possível” (falarei mais tarde sobre esse termo) crescimento da comunidade atéia, não creio ser novidade para ninguém. Basta alguém usar o facebook para que volta e meia o assunto ateísmo apareça na timeline, seja fruto de um meme (muitas vezes debochado e até ofensivo) ou de alguém abertamente expondo suas opiniões sobre religião.

Mas a coisa não se resume ao facebook, o fenômeno é global na internet. Em qualquer rede social, o debate ateísmo x teísmo está sempre entre os assuntos mais falados e inflamados. Na rede social de perguntas e respostas Quora, por exemplo, a qualquer momento há dezenas de discussões ativas de alto nível. E a vantagem desta sobre as demais é que permite um debate mais aberto, visto que lá não é uma rede de “amigos” propriamente dita, mas uma rede de conhecimento, onde pessoas perguntam o que quiserem, e quem quiser responde, sem as amarras emocionais envolvidas com estar falando com amigos, logo ateus e religiosos ficam a vontade para perguntar o que quiserem sobre o que pensa “a outra parte”, enriquecendo bastante o debate.

Mas como é comum a todo crescimento de uma voz de oposição, isso incomoda aos mais conservadores, tanto aqueles que são teístas convictos como os que estão em cima do muro, mas também não estão afim de ter seus valores questionados. E um argumento que sempre aparece é que os ateus são “uns chatos” e que esse crescimento todo não passa de uma modinha. Será?

Vamos analisar o que seria uma possível modinha nesse caso: novos ateus deixariam de ser ateus depois que a moda passa, é isso? Para que isso fosse possível, o ateísmo só pode estar sendo enxergado, por aqueles usa esse argumento da modinha, como uma opção. O que não é muito diferente daqueles que se opõe ferrenhamente ao homosexualismo, como se o mesmo fosse de alguma forma evitável.

O ateísmo, assim como o homosexualismo, não é, de forma alguma uma opção. Claro que os motivos pelos quais essas duas coisas deixem de ser optativas sejam fundamentalmente diferentes, ainda assim é possível usá-las em uma analogia, pois ambas são atacadas pelas mesmas pessoas, pelos mesmos motivos, como se fossem opcionais.

no_godVocê pode escolher no que você acredita? Não estou nem falando se você pode escolher ou não ser católico ou umbandista, pois aí entram muitas outras variáveis. Estou falando do aspecto fundamental da coisa, do simples acreditar. Você pode escolher acreditar, a partir de agora, que tem um milhão de reais na sua conta, mesmo sabendo que não tem? Não, né? E por que? Por que todas as evidências, e o fato de que ontem mesmo você olhou seu saldo, apontam para o fato de que você não tem esse dinheiro. Você nunca ouviu falar de alguém que do nada ganhou tanto dinheiro de presente do banco. Nada indica pra você que isso seja possível. E você não pode simplesmente “escolher” acreditar em algo diferente do que seu inconsciente diz. Você pode fingir que tem, falar para os outros que tem. Você pode tirar um printscreen do seu saldo, alterá-lo no Photoshop e olhar o quanto quiser para aquilo e ainda assim você não vai acreditar que tem aquele dinheiro. E muito menos irá agir como se tivesse.

É como se seu time, que vai muito mal, precisasse ganhar dez jogos seguidos e o líder do campeonato com 20 pontos de vantagem sobre o segundo colocado precisasse perder todos os jogos por três gols de diferença, para que seu time fosse campeão. Você pode desejar profundamente que isso ocorra e pode até sair por aí dizendo que ama seu time e que acredita de verdade nessa possibilidade que é matematicamente mais improvável que ganhar na loteria. Alguns mais apaixonados podem até acreditar mesmo ignorando todas as evidências e previsões (qualquer semelhança com teísmo não é mera coincidência) mas a grande maioria vai apenas dizer que acredita da boca pra fora apenas para mostrar apoio ao time.

Se você acredita em algum deus, você escolheu acreditar ou aquilo simplesmente “chegou” a você como uma sensação que você não sabe explicar direito e nem lembra como e quando foi? Talvez na sua infância ou em uma experiência transcendental. Repare que isso é bastante diferente de seguir a religião desse deus ou até mesmo viver de acordo com os preceitos que ele pode ter ditado ou escrito em tempos passados. Aí entraríamos no ramo da hipocrisia que nem vale a pena mencionar, pois rende muito pano pra manga. Quero focar aqui apenas no aspecto opcional de acreditar ou não em algo e em como isso é impossível. Você acredita ou não baseado em processos inconscientes dos quais não tem controle algum. Acreditar não é puramente (eu iria além, é pouquíssimo) racional.

Agora voltando ao aspecto “modinha” e o crescimento do número de ateus na internet, quanto a isso podemos produzir uma explicação mais plausível sem ter que recorrer a essa falácia da opção. O que ocorre é que as redes sociais, da mesma forma que tem apoiado o surgimento e a operação de organizações ativistas e mídias alternativas, virou também um estímulo para que muitos ateus “saíssem do armário” (sim, vou aproveitar a analogia já feita antes com o homossexualismo). Todos já eram ateus antes, mas nunca tiveram coragem de assumir isso em público ou até para si mesmos. Ao ver várias outras pessoas, inclusive amigos seus – que possivelmente, até então, sequer sabiam que eram ateus – falando abertamente de suas posições políticas e religiosas, tomaram coragem e simplesmente assumiram o “nome feio” de algo que sempre sentiram de alguma forma ou de outra.

Portanto, se existe alguma opção na história toda é a de se declarar ateu (e há toda uma sorte de motivos, alguns válidos e outros nem tanto, para que as pessoas assumam essa posição diante da sociedade), e não a de escolher, do nada, em um ou vários deuses pra descreditar. E mesmo que, daqui a um tempo, haja uma uma queda na taxa de crescimento do número de “novos ateus” ou até mesmo no volume dos debates e discussões em geral, isso não quer dizer que “a modinha passou” e agora todos estão voltando atrás em suas decisões, mas sim que passou o momento inicial, onde existe aquela explosão de expressão depois da voz presa depois em séculos de silêncio opressivo, pois finalmente se deu um espaço público e democrático onde todas as pessoas podem dizer o que quiserem sem medo de repressão política ou ideológica.

Christian Dechery
DJ amador, blogueiro de ocasião e filósofo de botequim. Pseudo-vegetariano, viciado em ler (não-ficção prioritariamente), cinema e música eletrônica.
  • Josias Maxiliano

    Amigo que interessante viu?!

    Vamos analisar friamente: “isso não quer dizer que “a modinha passou” e agora todos estão voltando atrás em suas decisões, mas sim que passou o momento inicial, onde existe aquela explosão de expressão depois da voz presa depois em séculos de silêncio opressivo, pois finalmente se deu um espaço público e
    democrático onde todas as pessoas podem dizer o que quiserem sem medo de repressão política ou ideológica”

    Hummmmmmmmmm, então mermão quer dizer que os neoateus para mostrarem sua voz nesse mundo agora mais democrático estão fazendo a mesma coisa que os crentes fundamentalistas: arrogantes, chatos, intolerantes, agressivos nos assuntos discordantes e piadas agora contra a religião, defesa dos animais como se fossem “deuses” (sim, VOCÊ sabe disso!)????????? Então pq essa comunidade que você representa e escreve não defende por ex. que também não deve ter mais repressão policial contra os vagabundos e marginais e não tentar entender com sociólogos/psicólogos os “coitadinhos excluídos da sociedade”? Muito convém, não? Você tem mais de 50 anos? Já procurou saber que no passado nem tão distante esse lance de ateus vs religiosos era muito mais respeitoso na sociedade. E sabe pq? Pq antigamente não existiam a comissão do c* alheio, cada um se preocupava com sua própria vida. A propósito eu acredito em Deus mas não tenho prova nenhuma que ele exista. E Christian vc naum acredita em Deus, e vc tem provas que não existe o deus lá das religiões, mas tem provas que não existe um Deus?

    • Mintir4

      Comunidade de ateus? onde fica isso? Ser ateu simplesmente implica no fato de não crer em em contos de fadas. O resto é resto, cada um q cuide do seu. Se tem algum grupo incomodando vc, va la debater com eles. Imagino que deve ta falando da ATEA, nunca me representou como ateu e nunca irá. Onde foi q tu viveu nos últimos 50 anos, pq até hj nego é expulso de casa ou condenado a morte por ser ateu.

      • frederico campos scarpelli

        “Ser ateu simplesmente implica no fato de não crer em em contos de fadas.”

        KKKKKKKKKKKKKKKK DEFINIÇÃO BEM MISTICA, GENERALIZADA E PRIVA DE CIÊNCIA PARA QUE SE DIZ UM ATEU.

      • José

        No seu último verso vc foi muito seletivo, pois tem muito mais cristãos morrendo em países ateus que ateus morrendo em países cristãos, agora, em países muçulmanos vcs não tem chances, nem nós cristão e os judeus. Antes que eu me esqueça, vc dizer que uma crença ser uma mentira sem uma prova concreta não o faz estar certo, mas está sendo dogmático, mais que um crente.

  • AntonioOrlando

    O neoateísmo, com seu embasamento no pensamento sistemático
    de caras como Dawkins, Hitchens, Sam Harris, Daniel Dennet, Pinker, e outros, enfim,
    com sua fundamentação ideológica fóssil amparada, só, na ciência está a desagradar
    até aos ateus históricos. Terry Eagleton, escritor e ateu confesso, diz que
    Hitchens, Dawkins e amigos estão ressuscitando narrativas/discursos ultrapassada(o)s.
    Eagleton acha que o fato deles estarem se agarrando a essas certezas reconfortantes – como o
    progresso da razão, a ciência, a civilização, e afins, é sinal de desespero. E
    num certo sentido essas certezas (ciência, razão etc) têm o mesmo papel nas ideologias deles, Dawkins e amigos, que as doutrinas/religião nas dos fundamentalistas.

    • Luiz Fernando Zadra

      Se você não vai se apegar à ciência, à razão e à civilização, você vai se apegar ao quê, amiguinho? À superstição, à estupidez e ao anarquismo?

  • Pingback: O ateísmo como modinha da internetOrgulhosamente Desajustado()

  • Adroaldo

    Quem me diz que sou ateu porque tá na moda, respondo que “depois da copa, todos os modistas vão voltar a ser católicos”. É uma indireta pra evangélico que era católico antes e decidiu mudar porque ser evangélico também está na moda.

  • Prof Mauro Duarte

    parei de ler quando o autor disse que o Ateísmo não é opcional, qualquer religião (ou falta dela) é opção da pessoa

    • Marcio Luz Scheibel

      Não é opção.

      O autor está corretíssimo.

      • Prof Mauro Duarte

        Estranho os cristãos tem Livre arbítrio para decidir se querem ou não seguir a religião. Pobres ateus! escravos desde o nascimento!

        • Marcio Luz Scheibel

          Ser ateu NÃO É uma opção.

          Você acha que um adulto pode voltar a acreditar em Papai Noel?
          Acreditar em Papai Noel é opcional?
          Isso é uma escolha?

          Você pode de todo coração acreditar que ele está no Pólo Norte?
          E só não te trouxe presente ainda pq você não foi merecedor?
          O que acha?

          Com certeza, me faria feliz viver na ignorância da existência de um papai noel.
          Na esperança de ganhar um presente magico no natal.
          VocÊ se acha escravo de algo por saber que papai noel não existe?

          Percebe?

          • Prof Mauro Duarte

            Se tu conhecesse o Papai Noel pessoalmente, desse uma volta no trenó ainda sim duvidaria de sua existência?

          • Marcio Luz Scheibel

            Você se acha escravo de algo por saber que o coelho da pascoa não existe?

          • Prof Mauro Duarte

            Não me acho escravo pois eu tenho liberdade de escolher acreditar ou não no coelho da pascoa.

          • Marcio Luz Scheibel

            Na sua opinião, acreditar ou não no coelho da páscoa é uma opção? Se você escolher acreditar, você vai realmente ficar esperando ele na páscoa? Trazer ovos de chocolate? E falar para as outras pessoas como está ansioso? Você sinceramente, acha que acreditar no coelho da páscoa é uma opção?

  • frederico campos scarpelli

    “O ateísmo, assim como o homosexualismo, não é, de forma alguma uma opção. ”

    brother, ESSA FILOSOFIA TUA NÃO SERVE NEM PRA BUTIQUIM, VOCÊ PODERIA FICAR AQUI ETERNAMENTE ESCREVENDO E BUSCANDO FORMAS DE JUSTIFICAR ESSA AFIRMAÇÃO ACIMA MAS NAO TEM COMO… FALOU BOBAGEM!

    • Marcio Luz Scheibel

      Ser ateu NÃO É uma opção, “brother”.

      Você não acha que é mais legal acreditar que ao morrer vamos ver entes queridos que se foram, que iremos para um paraíso, e que os bandidos serão julgados? Ou que simplesmente somos um ser vivo e nossa consciência é química e deixamos de existir, acabou? Qual você acha melhor? Se fosse opção, todos seriam crentes, é muito mais “legal”. Mas quando você percebe que deus é o papai noel dos adultos, é impossível crer. Ou você acha que um adulto pode voltar a acreditar em Papai Noel? Acreditar em Papai Noel é opcional? Você pode de todo coração acreditar que ele está no Pólo Norte? E só não te trouxe presente ainda pq você não foi merecedor? O que acha?

      Pode esclarecer isso em seu “butiquim”.

  • Denny Marcel

    “Acreditar não é puramente (eu iria além, é pouquíssimo) racional.”
    Aí é que tá. Quando pensamos de forma irracional (emocional), estamos sim tomando uma decisão, ainda que seja inconsciente. Só podemos falar que algo não é opcional quando o processo de formação do pensamento é racional, amparado por evidências.
    Eu sou ateu por razões racionais. A ideia de um deus criador/julgador não me faz sentido, em função de tudo que hoje eu conheço sobre as leis naturais e o comportamento humano. Mas tem gente que é ateu por “birra”, pra ser “do contra”, sem qualquer fundamentação além dessa pretensa “revolta” contra a religião, se não contra o mundo. Ou seja, uma decisão meramente emocional, motivada por várias razões: descontentamento com a religião, revolta pouco pensada/articulada, traumas etc… Esses ateus são tão fundamentalistas quando os religiosos. É a típica minoria oprimida que sonha em ser opressor.

  • Guest

    Concordo com tudo, porém..
    “[…]assim como o homosexualismo[…]”
    Homossexualidade, não homossexualismo.

    • Cesar Castro

      é a mesma coisa Homossexualidade, também chamada de homossexualismonota 1 (do grego antigo ὁμός (homos), igual + latim sexus = sexo), refere-se à característica ou qualidade de um ser (humano ou não) que sente atração física, estética e/ou emocional por outro ser do mesmo sexo ou gênero.

  • francine

    Debates de “alto nível” (sic)
    Homossexualismo (sic)
    Eu discordo quanto ao número de ateus não ter crescido, pois apesar de não ser uma escolha as condições culturais/sociais atuais propiciaram o questionamento, que aumenta a diversidade de crenças e opiniões, incluindo o ateísmo.

  • Antonio Porto Rosa Filho

    Contrariando o texto, Antony Flew passou a acreditar em Deus somente através da natural,
    e deixou claro que nunca teve uma experiência sobrenatural.
    Crer ou não faz parte da vontade humana.
    Opção está entre crer entre as evidências que você pode aceitar ou rejeitar.
    Você pode ver um milagre na sua frente e ainda assim rejeitar.

  • Natalia Rossi

    sempre fui ateia ativista, e nao por ter lido Dawkings ou outros