Bule Voador

Homeopatia no controle de pragas – FAIL!

Autor: Adelino de Santi Júnior

Durante a semana do dia 16/09/2012, ocorreu na cidade de Curitiba – PR, o XXIV Congresso Brasileiro de Entomologia. Um dos mais importantes eventos da área, que é responsável pelo estudo dos insetos, em todo o mundo.

A entomologia brasileira é largamente conhecida pelas iniciativas pioneiras nas áreas de ecologia e controle biológico, não raro, trabalhos desenvolvidos por Universidades brasileiras norteiam os rumos das pesquisas nessa área. No entanto, como em todas as áreas de pesquisa acadêmica, algumas vezes encontramos estudos questionáveis, quando não absurdos. Foi o que me ocorreu ao verificar alguns trabalhos expostos na forma de poster durante o evento.

Dois dos trabalhos apresentados abordavam a utilização de homeopatia no controle de lagartas e percevejos em diferentes cultivos. Pois bem, num primeiro momento fiquei pasmo, mas ao ler o poster percebi que os autores, sem querer, destruíram o conceito de homeopatia, além de invalidá-lo.

O primeiro trabalho é intitulado “Preparo de altas diluições de nim na repelência de Ascia monuste orseis (Latreille) (Lepdoptera: Pieridae) em couve folha”, e o segundo, “Preparo homeopático no manejo de percevejo de renda (Vatiga sp.) na cultura da mandioca”. Ambos desenvolvidos pela UNIOESTE e UDESC e financiados pela CAPES, apresentando erros conceituais e de interpretação inaceitáveis.

Controle de lagartas com homeopatia?

Controle de percevejos com homeopatia?

Primeiro erro (conceitual):

A homeopatia trabalha com a ideia de cura pelo semelhante, que significa basicamente que um remédio homeopático deve utilizar em sua formulação uma substância que cause um sintoma similar ao do problema que se quer combater.

Pois bem, a substância usada na formulação do primeiro trabalho, é o nim, uma planta que serve para repelir fitófagos. Já no segundo trabalho a formulação utiliza a planta Strychnos nux-vomica, muito conhecida por ser fonte de estricnina, poderoso veneno neurotóxico (substância altamente apolar, ou seja, insolúvel em água, o que é mais um ponto negativo para a solubilização homeopática em água ou álcool. Mas isso é assunto pra outro momento). No caso os pesquisadores partiram para uma abordagem homeopática mas não utilizaram o principio de cura pelos semelhantes. O que torna a ideia de “formulação homeopática”, não homeopática.

Cura pelo semelhante, embora seja um dos princípios da homeopatia, os autores não o utilizaram. Nas duas publicões foram utilizados repelente e inseticida nas formulações homeopáticas.

 

Segundo erro (interpretativo):

Ao fazer a análise estatística, os pesquisadores utilizaram o teste de F (trabalho sobre couve) e o teste T (trabalho sobre mandioca), que são testes de comparação de médias, que visam, resumidamente, verificar se duas ou mais amostras diferem estatisticamente.

Ao fazer um quadro comparativo, agrupando as médias de acordo com os testes, os pesquisadores demonstraram que as formulações homeopáticas não diferem do controle, no caso, água destilada!

Controle de lagartas. Tabela com médias de consumo foliar, os dados estão agrupados de acordo com o teste F. Médias com letras iguais não diferem estatisticamente.

Controle de percevejos. Tabela com dados de média de mortalidade, os dados estão agrupados de acordo com o teste T. Médias com letras iguais não diferem estatisticamente.

 

No momento em que vi custei a acreditar. Fui pessoalmente conversar com um dos responsáveis pela apresentação dos trabalhos, e ele me confirmou que de fato os tratamentos não diferiam do controle. Percebi que ele não entendia a implicação disso. O que me causou ainda mais espanto e, de certa maneira, preocupação com o nível de alguns trabalhos acadêmicos.

Além do mais, conforme mostra a primeira tabela, é possível verificar que o controle (tratamento com água destilada) resultou em menor consumo foliar pelas lagartas.

O nim não é uma substância lá muito boa para repelir fitófagos, vários trabalhos evidenciam isso. Se mesmo dominando suas proposições, os homeopatas já soam um bocado obscurantistas, o que dizer de alguém que se propõe a praticar a homeopatia desconhecendo seus princípios?  Chega a ser engraçado (e ao mesmo tempo trágico) perceber como existem pessoas cegas por suas paixões, a ponto de não perceberem a cova que acabam cavando na tentativa de defender o indefensável.

Adelino de Santi J
Born in Araraquara, S
  • Pois bem, tenho que comentar alguns pontos sobre o seu post,por isso vou enumerar:
    1 – Além desses dois trabalhos publicados no congresso deEnto, foram publicados outros também relacionados a Homeopatia. Engraçado queem nenhum momento você cita três trabalhos específicos que verificaramdiferença significativa em cultivo de tomate orgânico, sendo que as plantastratadas com preparados homeopáticos não foram atrativas a insetos-pragas;outro com redução do consumo de milho tratado com prep. Homeop. por S.frugiperda; outro (que inclusive foi selecionado para apresentação oral nesteevento) sugere a o uso de prep. Homeopáticos e isoterápicos para o manejo deambiente sendo atrativo aos inimigos naturais, no caso percevejos predadores.Engraçado que estes, você não cita né ??!!
    2 – O primeiro trabalho que você se refere (da lagarta dacouve) trata-se de um preparado em alta diluição de nim, entendeu? “preparadoem alta diluição” e não preparado homeopático. O trabalho informa que aobtenção desse preparado foi pela mesma forma como é feito os homeopáticos masnão é um devido um dos princípios da Homeopatia que é a semelhança que vocêmesmo refere.
    3 – O segundo trabalho avalia o efeito do prep. Homeopático Nuxvomica e não uma formulação Homeopática. Caso você não sabia (que eu acho bemprovável) Nux vomica é uma Homeopatia descrita em matéria médica humana, a qualrelata todos os sintomas semelhantes provocados por ela e realizados através aExperimentação (opa aqui estava falando de mais um princípio da Homeopatia, secaso vc não sabia). Como vc deve saber a homeopatia Nux vomica é recomendadapara intoxicações por provocar sintomas semelhantes a estes. Caso você nãosabia o percevejo ao fazer a picada de prova na planta injeta um “toxina” causandouma “intoxicação” na planta. Então vamos lá: Nux vomica —intoxicação —percevejo — toxina — intoxicação da planta. Sugiro que você estude um poucomais sobre a Agro-homeopatia. Na área agronômica, ou vegetal, o que é feito sãoanalogias com a matéria médica homeopática para humanos. Quer que eu explique oque é uma “analogia” ? Enfim portanto, o segundo trabalho segue sim um dosprincípios da Homeopatia que é a semelhança!!! Volto a repetir que você estudemais sobre Agro-homeopatia, ok!
    4 – Concordo com alguns comentários anteriores que dizem “oque seria da Ciência se só tivéssemos trabalhos com resultados positivos ahipótese inicialmente levantada”. Não-éticos são aqueles pesquisadores que não publicamseus resultados não significativos, e aqueles que “alteram” repetições para oseu CV cair um pouquinho. Acho engraçado também, como você generaliza dizendoque a Homeopatia não funciona devido as dinamizações em CH (com certeza vc sabeo que é dinamização e CH) estudadas não diferiram. Detalhe que foram apenas 4 e6 dinamizações avaliadas em intervalo de seis a sete. Como vc deve saber cadadinamização responde de forma diferente, chama-se resposta em “V”. Engraçadoquando é pesquisado uma molécula inseticida ou um antibiótico e testado asconcentrações dos mesmo, certo?! E se aquelas concentrações não controlaram daívocê diz “oooo o inseticida ou antibiótico “nas concentrações avaliadas” nãocontrolaram mas deve-se estudar outras concentrações!!!!” Ah! Que ilário esse éa mesma interpretação que o leitor deve ter com os trabalhos com Homeopatia,mas não, é feito uma generalização dizendo que não funciona. O estudo daHomeopatia em plantas, insetos e microorganismos está iniciando, não se tem umareceita de bolo como a maioria das áreas de pesquisas. Daí sim é fácil fazer osexperimentos, onde já se tem tudo pronto, a metodologia, método de aplicação,tuuudo já está mastigadinho pra vc ir lá e fazer suas pesquisa. Os estudos emAgro-homeopatia são experimentos de base que serviram como referência para ofuturo. Corajosos os pesquisadores que iniciam essas pesquisas de base sem ternada mastigado e pronto para iniciar.
    5 – Você se refere que os autores estão cavando um cova, eque acha inútil o apoio que a referida universidade e o referido órgão definanciador estão dando a esse tipo de pesquisa. Acredito que se não fosseimportante ou não houve interesse da sociedade científica todo congressonacional ou internacional algum trabalho com Homeopatia em plantas ou insetosnão seria selecionado para apresentação oral; não se destacaria como tecnologiainovadora; os pesquisadores não estariam com a agenda cheia para ministrarpalestras, mini cursos, oficinas para estudantes e agricultores; os cursos decapacitação em Homeopatia na agricultura não estariam lotados e cada vez maisnovas turmas sendo formadas entre tantos outros motivos. Tudo isso devido a experiênciaspositivas das pesquisas tanto dentro das universidades, institutos de pesquisae principalmente NO CAMPO, onde o próprio agricultor vê o resultado e análiseestatística nenhuma pode enganá-lo.  Tenho a leve impressão que é por esses motivosrelatos acima que a referida universidade apoia e os órgãos financiadorestambém. 
    6 – Como último comentário, porque não quero me alongarnesta discussão. Para continuar conversando sobre o assunto “Homeopatia”,sugiro que você estude mais sobre os seguintes assuntos: Ciênciae a Arte da Homeopatia, Teoria Miasmática, Farmacotécnica homeopática, Repertorização,Teoria das ultradiluições, Estruturas virtuais quânticas e Física Quântica. Deinício seria inicio, depois que você  tiver esseconhecimento base, daí sim, você pode comentar, publicar em blog, em redessociais a sua opinião sobre Homeopatia. Abraços a todos e bons estudos!

  • urassan

    Gostaria apenas de fazer alguns
    comentários a respeito de como o autor do post se refere aos trabalhos, “Que
    são inúteis, que não merecem incentivo, etc”.

    Lembre-se que antes da descoberta da
    dupla hélice do DNA, esta molécula também era desconhecida. A Ciência é feita
    de curiosidade e testes, erros e acertos, caso contrario não teria o nome de
    PESQUISA, precisamos pesquisar exaustivamente até podermos afirmar algo, e
    mesmo assim, podemos nos equivocar.

    Enquanto não forem testadas todas as
    metodologias possíveis, todas adaptações, ainda é válido. É justamente assim
    que foram feitas as maiores descobertas científicas. Caso contrário estaríamos
    achando que a vida surge num cantinho de um quarto escuro em um bolo de roupas
    sujas.

    E, em todo momento nossos
    “conceitos básicos de química e biologia” estão mudando não? Uma das
    coisas que aprendi na biologia é que existem exceções as regras.

    Também não acho que por não pensarem
    como você, as pessoas que façam uso de todas as técnicas citadas acima possam
    ser chamadas de desinformadas.

    Aos que falam de medicina no post, O
    que vocês me dizem sobre a comprovação da cura pelas mãos realizada por alunos
    da USP? Ou da risoterapia ? Ou da acupuntura ?

    De qualquer forma, os trabalhos não
    foram inúteis, deu pra concluir que o tal tratamento não foi eficaz certo? Thomas
    Edison descobriu 2000 maneiras de como não se inventar uma lâmpada. Nem por
    isso todos os erros dele são desmerecidos, ele mesmo não os desmereceu, por
    isso continuou e descobriu a forma correta, comentários assim, no meu
    entendimento são de quem não tem muita relação com pesquisa, afinal, nem sempre
    os resultados dos experimentos realizados são os esperados. Mas isso não
    desmerece todo tempo despendido para a conclusão dos mesmos. Não critico
    ninguém quanto a nada, acho isso anti-ético, acho que é interessante levantar
    assuntos para discação, acho que pode e deve dar sua opinião, porém de forma
    que não ofenda nem desmereça ninguém…..Abraços a todos.

  • IsaiasGO

    Legal ter encontrado essa matéria sua aqui Adelino. Não imaginava que alguém tentasse utilizar a “magia-espelho” da homeopatia fora dos consultórios médicos. Pelo que entendi o trabalho foi feito com o único objetivo de apresentar um trabalho, desconsiderando a consequência prática de que os resultados foram iguais à água destilada. 

    Acho que o problema está em você e não nos resultados. Você não tem um dos elementos essenciais para que isso funcione: fé.

    Isaías, de Curitiba.