Bule Voador

Astróloga quer ganhar R$360 mil de professores e universidade federal por danos morais

Autor: Eli Vieira
Fonte: TJRS

Fiquem calmos. Astrologia ainda é besteira.

Está correndo na 9ª Vara Cível do Foro Central de Porto Alegre um processo de uma astróloga tendo como réus dois professores do Instituto de Biociências da UFRGS e a própria universidade.

Tudo começou, aparentemente, quando a Astro Service, empresa de serviços astrológicos de Zelia Susana Rolim Guichard, mandou email publicitário para o professor Tarso Benigno Ledur Kist. A resposta foi curta e grossa: “Prezados Charlatões, Por favor, parem de enviar este lixo para o meu endereço. Tarso Kist”. O email foi com cópia para o professor Renato Zamora Flores. Seguiu-se uma discussão eletrônica e Flores teria respondido a astróloga manifestando o mesmo apreço de Kist pela prática da astrologia.

A advogada de Guichard justifica o envio do spam alegando que quem não queria receber o email teve a oportunidade de cancelar o recebimento enviando uma resposta em branco. Nenhum esclarecimento é feito sobre que critérios foram usados na inclusão de pessoas na lista de spam, nem por que motivo Kist estaria na lista.

No processo a parte da astróloga alega que a troca de emails “trouxe muito sofrimento” a ela, por sofrer “preconceito” com o email de resposta ao spam de astrologia. Deve ter doído bastante, dado que o valor da ação é de 360 mil reais. O processo ressalta diversas vezes que os réus são professores de uma universidade federal e que afrontaram uma “classe profissional” reconhecida pelo Ministério do Trabalho. A profissão de astrólogo compartilha o mesmo status da profissão de físico no Brasil: são reconhecidas mas não regulamentadas.

A ação também tenta responsabilizar a Universidade Federal do Rio Grande do Sul: “Desimporta se a Universidade agiu ou não com culpa. (…) [A UFRGS] responde civilmente pelos atos de seus funcionários”.

O réu Renato Zamora Flores, médico geneticista, tem fama de enfrentar práticas sem fundamentação científica. Já deu entrevista à Veja criticando duramente o escritor de autoajuda Augusto Cury, e em fevereiro passado foi argumentar contra a homeopatia na Rádio Gaúcha, trajando uma camiseta rosa com os dizeres “Cadê o paper?“.


Erratum: O editor corrigiu duas vezes a informação sobre o status legal da profissão de astrólogo no Brasil, em comparação à profissão de físico (e astrônomo). Um link para o Ministério do Trabalho mostra que ambas estão ausentes como ocupações regulamentadas, logo, têm o mesmo status.

Eli Vieira
Biólogo pela UnB, mestre em genética pela UFRGS, doutorando em genética pela University of Cambridge (Reino Unido). Membro fundador e ex-presidente da Liga Humanista Secular do Brasil. Escreve também em EliVieira.com e Evolucionismo.org
  • Rose Malmsteein

    “táo” brincando?